quarta-feira, 3 de outubro de 2012


Combinando cenas de suspense explosivo com paixões arrebatadoras, Nora Roberts bota pra ferver nesta clássica história - a tórrida narrativa de um casal no encalço de um assassino enlouquecido.
Uma jovem é encontrada morta por estrangulamento. Um bilhete foi deixado: Seus pecados lhe são perdoados. 
Logo surgem duas outras vítimas, e, de repente, as manchetes passam a ser dedicadas ao assassino que a imprensa apelidou de "Padre". 
Quando a polícia pede à Dra. Tess Court que auxilie na investigação, ela apresenta o retrato de uma alma perturbada. 
O detetive Ben Paris não dá a mínima para a psique do assassino. No entanto, o que ele não consegue descartar com facilidade é a sensual Tess. 
Moreno, alto e bonitão, Ben tem uma reputação lendária com as mulheres, mas a fria e elegante Tess não reage como as outras que ele conheceu... e o detetive acha o desafio sedutor. Enquanto os dois estão juntos numa perigosa missão para deter um serial killer, irrompe a chama de uma paixão incandescente. 
Mas há alguém que também está de olho na linda médica loura... e só resta a Ben rezar para que, se o assassino atacar, ele consiga detê-lo antes que seja tarde demais...

Ps: O meu exemplar é o "Vira-Vira" (contém duas histórias da Nora)

Esta obra traz a história de Tess, uma psiquiatra, e Ben, um detetive de polícia.
A polícia descobre um assassino em série na cidade de Washington, que estrangula as mulheres com um amicto (gola branca utilizada por padres) e ainda deixa um bilhete dizendo “Seus pecados foram perdoados”. A solução para o caso é dada pelo prefeito, que faz com que a doutora Teresa entre nas investigações, a fim de identificar o perfil do assassino.
Porém ela faz mais do que seu trabalho. Ela acaba se relacionando com o detetive Ben, um cara que passa longe de qualquer compromisso.
As coisas esquentam quando se descobre que a próxima vítima do assassino é a própria doutora Tess. E como nada ajuda, ela sofre com o drama de um jovem paciente que está à beira do suicídio. Ben também fica desesperado, não sabendo se vai conseguir salvar sua namorada (mas será que é isso mesmo, namorada?).

Este livro foi escrito, originalmente, em 1950. Isso explica algumas ideias que considerei um tanto fora de moda, ou melhor, fora da atualidade. A obra é interessantíssima e ao mesmo tempo clichê. Bem, vou explicar!
O romance entre Tess e Ben é um clichê, mesmo! Ele é o melhor em investigação, não quer nada sério com ninguém, se acha autossuficiente, é pobre e não gosta de psiquiatras. Ela é melhor psiquiatra que se faz de forte, mas é frágil, que se acha autossuficiente, é rica e não gosta de policiais/detetives metidos a besta. De início se estranham, mas ganham a admiração um do outro ao longo da trama.
Já a história policial que norteia a obra é inteligentíssima e interessante. Um assassino em série, que teria tudo para ser clichê, mas que tem uma maneira diferente para matar suas vítimas – com padrão físico, padrão na assinatura. Sua estrutura mental é desordenada e a autora colocou de forma impecável.
A construção das personagens é muito bem detalhada e nada cansativa. Nora Roberts descreve minuciosamente as particularidades de cada personagem – e como a narrativa é em terceira pessoa, o leitor se vê entendendo todos muitíssimo bem. Também posso afirmar que todas as personagens são normais – não têm nada de espetacular. Gente como a gente.
Porém na descrição das cenas, acredito que na tentativa de detalhar ao máximo, senti o texto um pouco vago. Talvez porque não gosto de ler o mesmo cenário e a mesma cena repetidas vezes. Uma basta.
Outra coisa que não me adaptei totalmente foi em relação aos nomes. São muitos nomes parecidos, então eu tinha que ficar voltando as páginas para tentar entender quem era quem nas ligações, consultas e ações da trama.
Nora Roberts escreve bem, e falar isso é chover no molhado. Mas tenho que dizer que a revisão não foi das melhores. Alguns errinhos bobos, como letras faltando em palavras, me deixaram um pouco incomodada. Claro que não são muitos, mas é que eu sou chata com isso.
O que eu mais gostei? A reviravolta que a história deu no final do livro! Claro que eu não posso contar o que acontece, mas eu nunca desconfiei que aquela pessoa fosse o assassino! Foi DIVO! (sim, vou deixar vocês curiosos!)
Outra coisa que gostei bastante foi a questão dos diálogos. Tiradas muito boas, humor inteligente, declarações emotivas. Cada personagem tem seu tom nos diálogos, o que deixa um toque de individualidade bacana.
Posso afirmar que é um livro interessante. Se eu gostei? Sim, gostei! Não foi o melhor do ano, mas cumpriu o prometido, que era entreter.


Reações:

16 comentários:

  1. Nossa, que legal! Sempre tive vontade, mas nunca li nenhum livro dela. Esse parece ser muito interessante e fiquei curiosa para saber quem é o assassino! kkkk
    Parabéns pela resenha!

    Beijos
    Tífany - http://osamantesdaleitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Tifany!
      Obrigada. Espero que você leia algo da Nora o quanto antes!

      Beijos

      Excluir
  2. Eu amei esse livro. Não foi o melhor da Nora, claro, mas eu adorei e o desenrolar da trama foi muito bom.


    laviestallieurs.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Adoro os livros da Nora, como ela escreve tanto fica difícil ler todoos eles, mas esse vai pra minha lista!(+1 da minha interminável lista =D)

    E em livros assim nada melhor que se surpreender com o assassino não???
    =P

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Su!
      Siiiim! Ela escreve demais (em todos os sentidos). E o bom é que NINGUÉM desconfia quem é o assassino!

      Beijos

      Excluir
  4. Acredita que nunca li nada da Nora..... não sei o porque, mas nunca me interessaram, agora que li a sua resenha, fiquei com vontade de ler esse livro, gosto dessas historia meio clichês, e que no final dão uma reviravolta!!! Acho que tenho mais um livro para minha listinha de desejos!! bjao Came!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana!
      Que bom que gostou da resenha... Acho que você ia gostar deste romance policial!

      Beijos amore!

      Excluir
  5. Um dia ainda vou ter não todos, mas um bom número de livros desta diva, isso se eu não for a falência antes... rsrsrsrs
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rose!
      Descobri que quero mais livros dela, também!

      Beijos

      Excluir
  6. Eu li Mahantam louca e desvairada e me encantei com a Nora!!
    Acho um máximo as historias dela... tenho até alguns aqui para ler :)
    Bjinsssssssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Raquel!
      Opa, vou anotar este título para eu ler!

      Beijos

      Excluir
  7. Ainda não li este.. mas amei esses copos de leite na capa!!!
    E você destacar a parte policial da trama me deixou louca de curiosidade, especialmente pq amo quando o assassino é uma pessoa que passa longe de suspeita, genial quando os autores conseguem isso.
    Da Nora eu li um de banca (O melhor dos erros) e li Dália azul, ah sim e A chave da Coragem tb. XD
    Gosto da escrita dela, bem interessante e rapidinha de ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dani!
      Concordo contigo! E já anotei este Dália Azul para eu ler!

      Beijos

      Excluir
  8. Oi! =)
    Ainda não li nenhum livro da Nora, e esse me interessou bastante!
    Adoro romances policiais, principalmente da reviravolta que acontece no final, sobre o descobrimento do assassino.
    Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bia!
      Acho que você ia gostar muito da Nora!

      Beijos

      Excluir

Assine nosso Feed! Skoob! Siga-nos no Twitter! Facebook!