terça-feira, 16 de outubro de 2012

Sophia Coldheart não é uma fada comum. Ela é uma Leanan Sídhe, uma espécie de fada que serve de musa para humanos talentosos alcançarem o sucesso. Uma fada-amante. Mas isso tem um preço. Ao mesmo tempo em que os leva ao estrelato, se alimenta de suas energias, levando-os à loucura. E à morte. Uma vida intensa e extraordinária com um fim trágico.

Mas o que aconteceria se um humano resistisse à sua sedução e fizesse a própria Sophia sentir-se fascinada por ele? A autora Carolina Munhóz nos conta essa história com primazia, mostrando que o mundo da fantasia para jovens ainda pode render sucessos e obras que vão muito além do simples passar de tempo.

Eu ganhei esta obra da leitora do blog e minha amiga (sim, eu a considero minha amiga!) Ana Paula Ramos. Obrigada Ana, mais uma vez! ♥

Este livro fala sobre uma fada que suga energia, sendo musa inspiradora, de um humano. Após o período de criação de sua obra-prima - que sacia e afasta a fada do artista, este é levado à loucura e ao suicídio. Sophia é uma dessas fadas e precisa “sugar” Willian, escritor em potencial. O problema surge quando ela se vê apaixonada por ele, e não quer cumprir seu destino.

A propósito, se você gosta de romances onde há a conquista e depois o envolvimento, não é aqui que vai encontrar. Nesta obra o amor acontece de primeira, sem muitos elementos. Ao final você entende a ligação, mas até chegar lá você pode achar um pouquinho estranho.
A temática é interessante, visto que não temos tantos livros sobre fadas no mercado – ainda mais com a mitologia celta tão aflorada. Ponto para a autora!
Inclusive eu tenho que pontuar: Carolina Munhóz pesquisou muito bem sobre a cultura celta! Trouxe rituais, algumas orações – realmente bacana.

As personagens não são totalmente estruturadas:
Sophia é uma fada lindíssima, egoísta (um egoísmo um pouco velado), mimada pelo avô e para por aí.
Willian é um escritor em potencial, atendente de um sebo de seu pai, mimado pela mãe.
Os demais personagens são completamente rasos.
Quero dizer: os detalhes não são explicitados no texto. Sabem aqueles detalhes que fazem o leitor se apaixonar pela personagem? Não identifiquei.

Vou contar uma coisa para vocês: desde o início da leitura, tinha algo que eu sentia que não me agradava e não sabia o que era. Fiz uma leitura bem calma e encontrei o que me incomodou: orações curtas demais! Pontos demais, frases sofras.
Pareceu-me que a autora quis dar ênfase em alguns pontos, mas acabou ficando arrastado demais. Vou colocar um exemplo aqui, onde explica o que a Sophia é (reparem na pontuação):
“No folclore celta, Leanan Sídhe é uma bela mulher do povo das fadas, que sempre possui um amante humano. Ela é geralmente retratada como uma exuberante musa, que oferece inspiração para este humano, geralmente um artista. Em troca recebe amor e devoção dele. No entanto, ele é dominado pela loucura, e tem uma morte precoce. Keswick já havia presenciado casos de Leanans, principalmente por bassenthwaite estar a nossa volta. É comum histórias em Cúmbria sobre Sídhes, mas não são normais as sobre Leanans. Não são criaturas do bem, são vampiras.”
(p.145)

Claro que eu já falei para vocês que eu ando chata com as estruturas das narrativas, mas não adianta! Continuarei pegando no pé.

Mas é claro que eu não ia deixar passar um detalhe interessante da narrativa: as cenas quentes tem um ritmo mais intenso e interessante, deixando o leitor muito a vontade. Adianto que não há cenas de sexo explícito! O que há é uma insinuação do ato (gostei bastante).
Uma coisa bem legal foi a título de cada capítulo, que continha uma frase de alguma música. Interessante e divertido (eu tentava lembrar cada música! E não, não tive muito sucesso).
Mais uma coisa, gente! Há muitas referências a J.K. Rowling e/ou Harry Potter. É perceptível (de longe) que a autora é fã de HP. Além disso, é possível notar que há uma semelhança entre o autor fictício da historia e a própria Carolina Munhóz – questão da vontade de se tornar best seller, ou por ambos terem ganho algum tipo de Prêmio Jovem da Literatura... Achei muito interessante este tipo de ligação proposto entre o real e o fictício.

Pontos Negativos: A narrativa – como já coloquei anteriormente, que deixou a desejar durante todo o livro. Também não gostei da falta de profundidade das personagens.

Pontos Positivos: O tema diferenciado, além de os detalhes da cultura celta muito bem organizados. As cenas mais quentes foram o ponto alto da trama.

É um livro de uma escritora iniciante, que com muito trabalho pode ter grandes títulos. Por hora, neste caso, acredito que foi simplesmente um livro escrito por uma jovem (não adolescente e ainda não adulta) querendo atrair o público igualmente jovem. Em minha opinião, ficou morno (e eu não sou fã do morno)! Faltou uma pimentinha, um azeite de dendê, aquele toque que faz a diferença na narrativa.

Reações:
Categories:

17 comentários:

  1. Aiiin...Independente do lado negativo, eu gostei bastante e me interessei mais ainda no livro.
    Parabéns pela resenha, vou soube falar de todos os ângulos :) O que mais me chamou atenção, foi a mitologia celta eu não sabia que era falado no livro, mais um ponto positivo para eu ler o livro ^^
    Beijos
    Brubs
    Livros de Cabeceira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Brunaaa!
      Quando ler, avise o que achou! Podemos discutir nossas opiniões sobre a obra - eu adoro!

      Beijos =*

      Excluir
  2. Hahahaha "azeite de dendê" foi ótimo! Já li umas resenhas desse livro e todos apontam a mesma coisa: o livro é muito raso. Acho a proposta boa, mas estão exagerando no marketing dessa autora, ela não é nem 30% do que andam falando, e isso me irrita.

    Eu acho que o Brasil se contenta muito com o médio, tipo "ah, mas a gente não tem tradição em nada, magiiiina uma autora jovem fazer um livro tal", e acaba vangloriando o que tem por medo de exigir mais e não ser correspondido. Nossa literatura nunca vai melhorar se não passar dessa fase de "o importante é competir".

    Beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lu!
      Pois é... Acho que está sendo muito exagerado... Não devemos nos contentar com o "médio", devemos querer sempre qualidade!

      Obrigada
      Beijos

      Excluir
  3. Eu adoro mitologia celta e me interesso pelo tema mas assim como você me incomodo muito com a estrutura da narrativa em si. Eu preciso me sentir envolvida pela narrativa e pela maneira de escrever do autor, se não acontece esse envolvimento eu não me interesso tanto pela leitura e aí vira só um passatempo e no momento estou precisando de algo mais profundo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cris!
      Eu também gosto de me envolver na narrativa. Ainda mais se é fantasia... O legal é "entrar" na história, né!?

      Beijos

      Excluir
  4. Oi Came minha querida amiga!!!!!!! Que bom que gostou do presente :D
    Gostei muito da resenha, muito bem escrita e muito sincera!!! Então, eu acho que ainda vou ler, pela curiosidade pelo tema das fadas e agora que vc mencionou sobre a mitologia celta! Gosto desse tipo de leitura (gosto de tudo, rs) mas ja vou meio preparada pelo morno.... rsrs
    É por isso que gosto de ler resenhas em que realmente fica a opinião de quem escreve...

    muitos beijos e até a proxima!
    :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana! Eu AMEI receber este presente de você!
      Me senti tão importante! (olhos marejados) ♥
      E não vá com muita expectativa, mas claro que você pode gostar do livro. Esta foi só a minha opinião né!

      Obrigada pelo comentário e pelo livro!
      Beijos ♥

      Excluir
  5. Ai, cams! Não sei se te agradeço por ter me tirado um pouco a vontade ou se brigo pelo mesmo motivo!
    A capa do livro é linda, eu amo a temática principal (fadas, certo?!) e (por culpa sua) estou vendo pontos positivos em leituras que envolvem mitologia. Como eu disse, não sei se ainda tenho aquela vontade que eu tive quando vi o livro. Os pontos negativos que você ressaltou são de grande importância no meu quesito "gostar ou não" de um livro. O trechinho que você postou já me deixou meio "assim", então não sei, mesmo.
    Enfim, obrigada pela "resenha que eu tanto queria" e pela sinceridade, sério! KKK ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gises!
      Desculpa se eu estraguei suas expectativas! Não foi minha intenção... Veja bem, você pode gostar...
      Algumas pessoas acharam o livro muito bom e tal...

      E obrigada pelo comentário :D ♥

      Beijos

      Excluir
  6. Oi, Came. Penso exatamente como você. Fui com muita sede ao pote... E continuei com sede. =P Acho até que a autora não curtiu minha resenha... =X

    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sabrina!
      Ah, é uma pena que a autora não tenha curtido. É só nossa opinião, né?!

      Beijos!

      Excluir
  7. Hahahha... tadinha Came... eu ri demais com a pimentinha e o azeite de dendê. XD
    Taí eu até queria ler... mas você não foi a primeira a falar que é morno... e tb não gostei do trechinho que você dividiu conosco... realmente a pontuação é desnecessária, poderia ter sido melhor estruturada, tanto por vírgulas como por algumas preposições... mas cada um tem seu jeito de escrever, né...
    No fim eu não achei tãooo bacana a descrição do que ela é... apesar de gostar de mitologia essa fada, não me desceu bem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dani!
      Assim como a Sabrina fui com muita sede ao pote e desanimei...
      Assim como para você, a pontuação é algo que pesa muito para mim, por isso frisei.

      Beijos

      Excluir
  8. Tenho interesse no livro e o acompanho já faz um tempinho, inclusive participei da escolha da capa votando. Espero ler em breve, pois gosto de fadas.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  9. Também fui com muita sede ao pote. Muito frustrada.

    ResponderExcluir

Assine nosso Feed! Skoob! Siga-nos no Twitter! Facebook!