terça-feira, 10 de julho de 2012


Um casamento por ordem do Rei... A última coisa que Elene Fitzhugh queria era se casar com Geoffrey de Burgh. Ela só esperava que os afiados punhais que possuía lhe dessem proteção contra os modos gentis e as açucaradas mentiras daquele homem! Embora Elene Fitzhugh houvesse assassinado o primeiro marido no leito nupcial, Geoffrey de Burgh não tinha escolha além de se casar com ela. Mas como tomar por esposa uma mulher de alma tão selvagem e apaixonada?



Em o anel de noivado, Deborah Simmons se coloca de forma muito inteligente. Assim como em “Coração de guerreira”, a mocinha não é ingênua ou indefesa, mas, ao contrário, se mostra esperta e desafiante. Este livro nos trás a história Elene e Geoffrey. Um casal normal para os padrões da época medieval, onde os casamentos arranjados eram aceitos naturalmente.
Elene tem uma pitada de Catarina, a megera domada, já que é arredia e desconfiada. Seu futuro marido,  Geoffrey, conhece sua reputação - matou seu primeiro marido, e mesmo assim aceita se casar com ela. O que nem ninguém suspeitava é que o amor entraria na jogada.
Geoffrey aos poucos começa a se afeiçoar a sua esposa brava, intimidando esta que não estava acostumada a ter qualquer relacionamento, ainda mais amoroso. Aos poucos seu marido a ganha a sua confiança, respeito e afeição.
Não gostei de uma coisa nesta obra: a autora deixa  Elene muito chata. É arisca a todo instante e só pensa em cravar seu punhal em alguém. Nunca afrouxa. Isto cansa ao longo da leitura, além de o leitor cansar da mesma história a todo o capítulo: ele tenta se aproximar, ela não permite. A aproximação só acontece praticamente no final da obra, depois de o leitor estar fatigado da história. Ao contrário da obra “Coração de guerreira”, nesta a autora perde a mão e acaba deixando a desejar.
Ainda sim, é uma obra válida e interessante, já que é possível analisar sua época histórica, além de ter elementos interessantes, como o noivo interessante e corajoso que consegue dobrar até mesmo a nossa megera.
A narrativa é simples e permite que o leitor termine em um menos de um dia, afinal é pouco mais de 100 páginas de amor. É uma leitura leve e com certeza é recomendável. É uma pena que a autora tenha decaído de uma obra para outra, porém mesmo assim é interessante analisar esta obra já que o Clã dos De Burgh é o melhor que há!


Não deixe de visitar o blog... Você é muito bem-vindo!!
Reações:

7 comentários:

  1. Ainda não li nenhum livro de Deborah Simmons,mas acho que e melhor começar por esse para quando for ler outros não me decepcionar.

    ResponderExcluir
  2. Ai eu confesso que não gostei dessa ideia...
    Só se acertarem no fim é muito estressante mesmo para um livro pequeno... e a mocinha só pensar em matar alguém é pior ainda... ela é uma serial killer reprimida?
    Esse sinceramente não me agradou. =(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Siiiiim. Exatamente Danielle! Chega uma hora que você cansa de tanta hostilidade!

      Excluir
  3. Não lembro se já li algum livro desta autora, mas vou anotar esta dica.
    BJs, Rose.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anote mesmo, Rose. Esta não é a melhor obra, mas a autora é ótima!

      Excluir
  4. Eu vou defender Elene...Amei a história,gente...Ela foi muito maltratada antes do fofo Geoffrey aparecer.Amei Geoffrey e quero um desse pra mim!

    ResponderExcluir

Assine nosso Feed! Skoob! Siga-nos no Twitter! Facebook!