sexta-feira, 18 de maio de 2012


Payne, irmã gêmea do guerreiro Vishous, é finalmente libertada de sua mãe (a Virgem Escriba) e se revelará uma lutadora por natureza, descobrindo sua verdadeira essência. Ao sofrer uma lesão que a paralisa, o cirurgião Manny Manello é chamado para curá-la. Embora nunca tenha acreditado em vampiros, ele será logo sugado para o secreto e perigoso mundo da Irmandade dos vampiros-assassinos e seduzido por esta misteriosa mulher que precisa salvar. À medida que Payne e Manny descobrem que têm mais do que uma ligação erótica, eles precisam enfrentar o choque entre os mundos e uma dívida de séculos atrás que será cobrada de Payne e colocará tanto seu amor como sua vida em perigo. Uma paixão arrebatadora que promete ser quente... Essa ligação erótica entre os dois universos poderá se concretizar?


* Sobre o estilo de J.R. Ward
Este é o décimo livro que resenho desta autora, então o estilo dela já foi "construído" em minha cabeça durante todo este tempo. Mesmo assim, Ward me surpreendeu neste volume! Acompanhando a linha que vinha seguindo, a narrativa da autora deu para Amante Libertada novos ares e olhares. Acompanhem!

* Sobre a história do livro
Payne sofreu um acidente que compromete sua coluna, e a Dra. Jane só conhece um médico com capacidade suficiente para tratar sua cunhada - Manuel Manello.
Mas como lhe chamar, quando ele pensa que está morta? Como falar que a paciente é uma vampira?
E quanto a  Payne, como reagirá caso não volte a andar? Como lidar com a atração que sente pelo curador que veio lhe salvar?
Questões básicas para a trama, que são respondidas ao longo de toda a história.
Há uma reviravolta no casamento de Jane e Vishous - não conterei mais nada!
Quinn e Blay ficaram chatos neste volume, assim como John.
E sabe quem Rhage me lembra? Tony Stark - sim, o Homem de Ferro, ele tem sacadas ótimas e tem um senso de humor maravilhoso! *temdessesparavender?embalaumparamim*

* Sobre maneira de como a história é contada
Eu já contei que prefiro a versão de Portugal? Acho que não né!? A versão brasileira ainda é muito censurada - parece que há receio em despejar os palavrões originais, ao contrário da versão dos nossos amigos europeus, que é recheada de frases descontroladas e palavrões - que são, sim, necessários nesta saga!
Confesso que neste volume J.R. Ward me pegou hein! Mas não sei se isso é bom ou mau - ainda estou refletindo! A história que era para ser de  Payne e Manello, se tornou de Vishous e Jane! As cenas continuam sendo escritas belamente, com uma história ótima, mas senti uma "fome" do romance central da proposta inicial.
Será que eu estou cansando de IAN, ou a autora está viajando bastante em algumas partes? Por favor, queridos, tirem esta dúvida de mim! Não consigo sentir a Irmandade no mesmo ritmo que antigamente. Quando releio alguma das obras anteriores, sinto um ritmo ótimo! Mas agora... Não sei, sinceramente, não sei!
Tenho uma dúvida: Os machos que não tem Shellans ou não podem se alimentar delas, procuram as escolhidas. Mas e as mulheres que não tem parceiros? Fiquei pensando............

* Aspectos positivos
A autora resolveu não transformar o Manello em vampiro - ainda não, pelo menos. Isso é ótimo! Dá um rumo novo, uma diferença para a trama! Inclusive, quem sabe, minha questão anterior pode ser respondida...
Além disso, a forma como ela tratou a questão de Vishous e Jane foi muito bonita! Mostra que nem tudo é perfeito, e que eles são birrentos, chatos, egoístas, e tão humanamente lindos *-*

* Aspectos negativos
Mais uma vez, o livro poderia trazer mais da  Payne e Manello (ainda mais  Payne)... Senti falta dela, de saber o que passava por sua cabeça - a maioria dos pensamentos eram de Manello. Não gostei disso.


* Ortografia, gramática e diagramação
Nota 10 para a Editora Universo dos Livros! Não encontrei nenhum erro sequer! Parabéns, mais uma vez.


* Observações
Obviamente é um livro bom, assim como toda a saga - não o melhor da saga! Se recomendo? Claro que sim! 

Vale conferir os outros volumes da série:

Vale muito a pena ler.

Não deixe de visitar sempre o blog... Você é muito bem-vindo!!



Reações:

6 comentários:

  1. Cara tbm achei que o livro é de V e Jane! É um dos casais que mais gosto [apesar de mtas o verem com o B]enfim gostei de ver q depois que acaba o livro a vida continua e os problemas tbm!Lindo como V se declarou pra ela em seu apartamento!

    Sim tbm acho que a J.R.Ward se perdeu na história, muitos personagens, muitas pontas soltas...apesar da Irmandade ser ótima as coisas estão desandando no meu ver.

    E como vc pode notar eu não comentei nada do casal principal =D gostei mas V e Jane foi mais marcante!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Complicado né Sussu! Ainda mais por que a proposta original era Payne e Manny... Mas enfim, o livro é bom... Beijos

      Excluir
  2. Ta bom! Vou ter que comprar os livros da coleção, estou super curiosa para lê-los, você fala tão bem deles que estou curiosíssima! rsrsrsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Siiiiim Fraaaaan... Você não vai se arrepender! São de-li-ci-o-sos!

      Excluir
  3. Muito boa sua resenha. Fiquei bastante interessada em ler a Saga. ;)

    Ah, mas dentro dessa nova febre de romance hot, eu recomendo um nacional "Redes Sensuais". Ele me tocou por ser mais real e pela trama mais elaborada sem deixar de lado o erotismo.

    Eu fiquei sabendo deste livro pelo Facebook e comprei pela internet, mas agora apareceu uma versão gratuita aqui neste link http://ge.tt/78mDJLP. Quem curte esse tipo de romance vale a pena conferir. Bjs

    ResponderExcluir
  4. Finalmente alguém falou de "Redes Sensuais" então não estou ficando louca!!! Porque este livro só eu conheço, ninguém nunca ouviu falar. O problema é que trata-se de uma história com sexo sim, só que é bem mais intrigante e exige mais atenção (e inteligência) do leitor. Não sabia da versão gratuita comprei o meu pela internet ao ver a indicação em um blog e adorei!!!!
    Quanto a série "Irmandade" a resenha é boa mas ainda estou na dúvida. Preciso de algo forte, mas que tenha a ver com a minha realidade, que eu possa me identificar. Afinal, conto de fadas já passei da idade... tem de ser crível e me tocar, fazer que eu imagine que possa acontecer comigo. Acho que não é a minha praia. Mas pelo menos agora eu sei do que se trata.

    ResponderExcluir

Assine nosso Feed! Skoob! Siga-nos no Twitter! Facebook!