quarta-feira, 31 de julho de 2013

Olá galera! Quem acompanha o blog no twitter (@RLeitora) e no Facebook (Fan Page) já estava sabendo que esta entrevista aconteceria em breve - inclusive pedimos que vocês enviassem perguntas para a autora. E desde já, gostaria de agradecer a quem enviou.

Primeiro, vamos conhecer melhor a autora de Filha da Floresta e Filho das Sombras (e muitos outros, mas só estes são lançados no Brasil).
 

Juliet Marillier nasceu em Dunedin, na Nova Zelândia, uma cidade com fortes tradições escocesas que a influenciaram profundamente. Graduou-se em Linguística e Música na Universidade de Otago e tem uma carreira variada que inclui o ensino, a interpretação musical e o trabalho em agências governamentais. Sua famosa trilogia Sevenwaters, A Filha da Floresta, O Filho das Sombras e A Filha da Profecia, ganharam vários prêmios internacionais e a Juliet foi aclamada como a sucessora de Marion Zimmer Bradley, autora da famosa série literária As Brumas de Avalon.

Seu primeiro livro foi Filha da Floresta, escrito em 1999, e logo veio Filho das Sombras em 2000 e Filha da Profecia em 2001. Em 2003 resolveu ser escritora em tempo integral.
Seus romances combinam ficção histórica, fantasia folclórica, romance e drama familiar. Seu foco fica nas relações humanas de seus personagens em sintonia com o mundo natural.

Ela escreve no blog http://www.writerunboxed.com/ na primeira quinta-feira de cada mês.

No site da autora encontramos informações sobre todos os livros: http://www.julietmarillier.com/

Vamos à entrevista com esta super autora:

Os contos nórdicos e lendas irlandesas que você transmite na trilogia Sevenwaters foram contadas à você por seus pais, como Sorcha fez com os filhos dela?
Meus pais adoravam mitologia e contos de fadas, então me contaram um monte de histórias quando criança. Eles eram em sua maioria os celtas - irlandeses e escoceses. Eles também leram para mim e cantaram canções folclóricas. Eu descobri uma ampla gama de mitologia quando comecei a ler livros de fadas de Andrew Lang, que eram coleções de histórias tradicionais de todo o mundo. A partir dessas primeiras experiências, veio o meu amor eterno aos contos de fadas, folclore, mitos e lendas. 

Como historiadora, adorei sua contextualização sobre os valores morais da época em que o livro é situado. Quanto tempo de pesquisa você precisou para começar a escrever "Filha da Floresta"?
Eu fiz uma quantidade razoável de pesquisa histórica, especialmente em relação à religião e à vida diária. Mas essa foi a minha primeira série, e eu não sabia o quanto era importante para obter o contexto histórico certo, mesmo que fosse um livro de fantasia, por isso há um par de erros históricos grandes que eu não faria agora! Eu estava concentrando-se mais sobre os elementos de contos de fadas e a história humana da família de Sevenwaters. Depois do primeiro livro, eu me tornei mais completa na minha pesquisa histórica para cada livro.

Em "Filho das Sombras", temos a história de Liadam, que é muito diferente de sua mãe, Sorcha. Seu espírito livre e independente é motivador e esperançoso. Você se inspirou em algum mito para criar a personalidade de Liadam?
Eu não acho que a personagem de Liadan é inspirada em qualquer história tradicional particular. Ela é mais a mulher que eu gostaria de ser! Além disso, ela contém aspectos de várias mulheres que conheci e admirei na vida real. Eu defino um valor alto na coragem, que é uma de suas principais qualidades.

Se você pudesse convidar um dos personagens para jantar com sua família, quem seria? O que você cozinharia para ele?
Gostaria de convidar Bran (Homem Pintado), que viria acompanhado de seus homens pintados. Eu tenho que cozinhar algo saudável e robusto, talvez uma torta de carne com muitos vegetais. E, em seguida, pudim de chocolate. Cerveja para beber!

Você já veio ao Brasil? Se não, tem projetos de vir para cá?
Não, infelizmente eu nunca visitei o Brasil. Eu adoraria viajar para aí, mas no momento não há planos particulares - é um longo caminho da Austrália. (Seria muito interessante para visitar, durante a Copa do Mundo de Futebol.)

Está escrevendo algo no momento? Se sim, você pode nos dizer alguma coisa sobre?
Atualmente estou escrevendo um romance chamado Dreamers’ Wood,  que é o primeiro livro de uma nova série, Blackthorn e Grim. É outra série irlandesa, mas muito diferente da essência dos livros de Sevenwaters. Ela começa com o personagem central na prisão e prestes a ser executado. Os livros combinam um elemento de conto de fadas com uma forte história de personagens imperfeitos, lutando para colocar suas vidas de volta juntos. Eu não posso dizer mais - é cedo ainda!

Você tem algo a dizer para seus fãs brasileiros? Por favor, deixe uma mensagem para eles.
Olá a todos os meus leitores no Brasil! Estou tão animada por ver a série Sevenwaters publicada aí, e realmente encantada com as edições - a editora me mandou algumas cópias e elas estão muito bem produzidas. Eu fiquei tão satisfeita com o entusiasmo de vocês com os livros, e eu espero que mais do meu trabalho esteja disponível aí (que depende do apoio de vocês, é claro.) Espero ser capaz de viajar para vê-los em algum tempo. Eu entendo que vocês tem um riquíssimo folclore de seu próprio país e gostaria de saber mais sobre sua cultura e história - Eu estou sempre à procura de mais idéias para histórias.

Só tenho a agradecer à Juliet Marillier que, desde o início, foi um doce! Espero que tenham gostado deste post especial. 
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Assine nosso Feed! Skoob! Siga-nos no Twitter! Facebook!