terça-feira, 2 de julho de 2013

Simplesmente Ana é um daqueles livros que você se recusa a para de ler. Resolvi lê-lo no início de uma noite e parei às 3 da manhã, por que passou meu sono completamente.

A história conta a vida da mineira Ana que, através do Facebook, descobriu ser uma princesa, filha do rei da Krósvia. Ana tem 20 anos, e a autora Marina Carvalho explora muito bem esta idade, não transformando Ana em madura demais ou adolescente demais. Ela tem que tomar muitas decisões, que até então não teria tomado em sua vida confortável.  Ela é engraçada e leva tudo na esportiva. A trama tem muitos elementos atuais, como chats na internet, emails...
O livro é contado em primeira pessoa, a partir do ponto de vista da Ana, o que é bacana já que ela é muito carismática e tem o espírito da juventude.

É claro que com a temática jovem, terá romance. O caso é típico: ela tem um rolo, Artur, que é lindo, maravilhoso, popular, enquanto ela se acha normal e sem graça (a Síndrome de Bella Swan). Quem sabe ela leu Crepúsculo, não é?! E ao chegar na Krósvia, ela encontra um filho adotivo de seu pai, chamado Alex, que é todo trabalhado na malícia, na beleza e no charme. Sem falar que, a princípio, ele é todo bad boy. Detalhe: Alex tem uma namorada que é um saco.

Ela vai para a Krósvia para ver como é que as coisas funcionam por lá, e tem que decidir, ao longo da história, o que fazer dali em diante: fica no Brasil ou na Krósvia? Esta viagem ocorre logo no início do livro, portanto a trama ocorre, em grande parte, na Krósvia.
Uma coisa que eu não posso deixar passar: Ana é das minhas: AMA livros e torra todo o dinheiro do mês neles. Sei bem como é isso...

O livro é todo fofo: ri bastante em algumas passagens, suspirei em outras e, ainda, senti dor no peito, por exemplo, quando ela falou o que era a saudade (já que esta palavra só existe no vocabulário brasileiro). Amei, mesmo!

Como nenhum livro é perfeito, foram dois pontos que me chamaram atenção, mas não de uma forma boa:
1º - eu não comprei o fato de que todos falam inglês fluente, até mesmo a avó de Ana. Ok, você pode até ter viajado e tal, mas se não tem uma prática diária, você perde a fluência, e isso é óbvio. Ali, apesar de 20 anos sem ir para fora, a mãe ainda fala fluente e a avó nem se fala.
2º - a autora tentou colocar conversas de chat via web com vocabulário internetês (naum, entaum, vc, q). Ok, eu sei que muitas pessoas usam estes termos, mas não acredito que foi a melhor escolha neste caso, visto que se trata de um livro. Pesquisas simples feitas por blogs apontam que por mais que os jovens falem deste modo em chats, quando estes termos aparecem em um livro, não há identificação com a forma escrita.
Apesar de tudo isso, é um livro super leve e lindo.

Para não perder o costume, a Editora Novo Conceito caprichou nos detalhes do livro. A arte da capa é maravilhosa, elegante.
Nem preciso dizer que estou louca pelos próximos livros de Marina Carvalho, por que se continuar neste nível, tem tudo para ser uma das melhores escritoras da atualidade.

Apesar de eu ter colocado aqueles dois pontos negativos, o livro ainda leva a pontuação máxima aqui no blog. Sim, ele é demais. Todos lendo o livro já!


Citação:
"[...] O que um homem bonito faz com o cérebro das mulheres? Congela?"


"Não sei por que, mas é incrível como o brasileiro tem fama ruim. Vira e mexe alguém dá a entender que somos todos depravados, liberais e sem censura. Em parte eu sei por quê. Basta assistir a um desfile de escola de samba no carnaval e ao festival de nudez promovido principalmente por artistas – ou aspirantes a artistas – desesperados por atenção. Mas, puxa! Nós nem fazemos topless com tanta frequência quanto as europeias, que são mais liberais do que nós em muitos aspectos. Dá tanta raiva!"

Reações:

8 comentários:

  1. Came, amei, amei, amei!
    Obrigada pelas lindas palavras, viu?
    Beijos! S2

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marina, sua linda, fico tão feliz que tenha gostado :D

      Eu que digo obrigada :D

      Beijos

      Excluir
  2. Oi Came!

    Achei linda a capa e o nome do livro desde a 1. vez que vi.. (porque sera? *o* ) e fiquei com vontade de ler agora. Adoro esses livros leves, que conseguimos ler em uma noite (faço isso as vezes tbem) e gostei da historia, mesmo tendo o de sempre: a mocinha e o lindo bad boy! Oque faz a diferença é o jeito da autora escrever, e se conseguimos rir e nos emocionar, vai valer a pena sim!
    Vamos lá para a minha listinha sem fim!

    bjooooo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Anaa... Lembrei de ti mesmo quando vi o título hahahaha
      O livro, como eu já disse, é ótimo. Apesar do clichê contido, a narrativa faz a diferença.

      Daqui uns dias tem promoção deste livro, vai que você ganha :)

      Excluir
  3. Oiii Came!!! (ultimamente tenho medo de não ver as etiquetas e chamar outro resenhista por seu nome)
    Gostei bastante da resenha, tb não gosto de internetês em livro, eu até evito usar no twitter e afins... hahaha
    Bom sobre a fluência entendo você, mas existem casos de não abandonar o uso da língua mesmo... tem quem imponha falar inglês no almoço e português no jantar. Conheço uma pessoa, em parte para não perder o hábito e manter a característica.
    Sobre a capa, eu não gosto.
    Ah não fala que quem se acha feia e sem graça ´tem síndrome de Bella Swan, me magoa. ¬¬ Pq não suporto a Bella e penso assim. hahahaha
    Deixando de birra. =P
    Fiquei curiosa com o livro, essa questão meio Diário da Princesa me atraiu. Aiii esse Alex *abana*. Essa mocinha sabe com o quê gastar a grana, isso aí: livros, livros e mais livros. =D
    Bom que apesar de ter dois pontos negativos não estragou a trama.
    Bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dani, não tem problema se chamar hahahaha
      E pare com a síndrome de Bella Swan, por que você não é feia --' kkkkk
      Menina, o Alex é de se abanar o livro inteirooooo!
      Leia, leia, leia hahahaha

      Beijoo

      Excluir
  4. Eu tb amei o livro!!! A Marina realmente escreve muito bem e tem um futuro brilhante pela frente!!!!!!!!!!!
    Concordo com os dois pontos que você citou como "negativos", ainda mais eu sendo professora de inglês. Idioma é contato, isso é provado. Mas, como se trata de um livro fictício, deixei passar! rsrs
    Parabéns pela resenha!
    Beijos,
    Nica
    http://www.nicasdrafts.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nica, sua linda! Estou aguardando futuros livros dela já ansiosa!
      Pois é, o livro era tão bom que eu tive que me deter nestes detalhes para tentar achar algo "ruim"... E, claro, eu sou chata mesmo kkkk

      Beijoo

      Excluir

Assine nosso Feed! Skoob! Siga-nos no Twitter! Facebook!