domingo, 14 de julho de 2013

“Amor, meu grande amor, não chegue na hora marcada.Assim como as canções, como as paixões e as palavras. [...]Enquanto me tiver, que eu seja o último e o primeiro.E quando eu te encontrar, meu grande amor, por favor, me reconheça...”
SKOOB
Sim, o objetivo é que enquanto você lê esta resenha, você fique com essa música linda do Barão Vermelho na cabeça. Agora vamos aos apontamentos:
Este é o primeiro livro que leio da Carol e devo admitir que estou amando a autora – inclusive gostaria de frisar que a literatura nacional está vivendo um período muito fértil e bacana com tantos livros ótimos. Venha à nós!
Quando vi esta capa, pensei que era um livro adolescente. Mas como não se deve julgar um livro pela capa, errei mesmo – o livro é destinado ao público jovem-adulto. Falando em capa, a menina do desenho lembra a Carol e eu fiquei me perguntando, em quem será que a Carol se inspirou para fazer a Bia?

Bia é uma mulher de 25 anos, falida, carente, que tem um amor mal resolvido da adolescência (Guga) que acaba interferindo nos amores atuais. É em torno dela que a história desenvolve, sempre com seu ponto de vista narrado em primeira pessoa – inclusive ela fala como se estivesse em um eterno bate-papo com o leitor, o que ficou ótimo. Ela é muito divertida e até seus pensamentos fogem do comum na maioria das vezes. Bia é uma adulta que apresenta aquelas paranoias femininas como dietas loucas “tentando emagrecer os cinco quilos que ganhou com a depressão pós-desemprego”.

Claro que eu não vou contar a história, mas para resumir sem estragar vou falar que ela conhece um cara maravilhoso (que acaba se tornando seu “encontro”) em um episódio nada convencional: um tiroteio entre policiais e bandidos. E mesmo ali ela consegue ser engraçada, mesmo em seu mau humor. O nome do cara? Vamos chamá-lo de Cara (sim, eu também lembrei da música “Esse cara sou eu”). Vale lembrar que a Bia é um pouco devagar... Não se liga em algumas questões óbvias, e eu tive vontade de pegá-la pelos ombros e falar como a Ana Maria Braga: “Acorda, menina!”.

Então esse Cara é O cara. É músico, mora em Londres, é lindo e romântico. Mas também tem seus lados negativos, já que tende a manipular as coisas e pessoas para que fiquem sempre sob seu controle. Confesso que por horas eu o amei e por outras horas o detestei. E até a Bia descobrir quem é ele, dá muito pano para a manga.

A história fala, então, sobre este envolvimento entre os dois. Sobre erros e acertos do passado. Sobre deixar passar chances, por sermos cabeças duras, ou por julgar que sabemos o que é o melhor para o outro. E sobre verdadeiras amizades, que não importa quanto tempo passemos longe, melhores amigos sempre serão melhores amigos.

Como o livro é em primeira pessoa, os sentimentos da Bia estão ali expostos em carne viva. E isso é mágico, visto que nada é escondido – chega dar aquele frio na barriga em alguns momentos. Significa que a história e os personagens estão palpáveis

O livro todo se passa no Brasil, listando vários ambientes tupiniquins lindos de viver. Gostei do fato de a autora citar algumas coisas da infância da Bia, referenciando os anos 90. Mas tem uma coisa que eu não gostei, eu AMEI: as referências musicais usadas. Vejam, Bia curte música, assim como o Cara. E eles curtem coisas que eu curto, como Beatles, John Mayer e Barão Vermelho (este último então, me gusta mucho).

O nome do livro: ela se acha muito azarada. Então seria azar do cara que quisesse ficar com ela:
“Mas ele girou a chave. Uma, duas, três... Dez vezes. O motor não pegou.
Largou-se no banco, por fim, desistindo. Olhou para mim.
- Deve ser a bateria.
- Não – contestei – Deve ser a minha maré de azar. Deve, não, é! E você está comigo, portanto, azar o seu!
Por um segundo o silêncio foi absoluto. Depois, sem saber direito como aconteceu, a primeira vez em meses, eu caí na gargalhada.”       p. 54

Uma das passagens mais profundas, para mim, foi esta onde o passado ferido de Bia é resumido de forma brilhante:
“- Bia... As pessoas boas também erram.
- Erram tanto que se tonam pessoas más.”     p.306

É um livro lindinho, leve, divertido. Ótimo para você relaxar e esquecer-se do mundo. Eu adoreeei demais! Em geral eu coloco pontos negativos dos livros (vocês sabem disso), mas juro que nesse eu não encontrei nenhum! Então todo mundo lendo já!
Avaliação: 5/5 *-*

Reações:

11 comentários:

  1. Adorei a resenha e estou louca para ler o livro! *.*
    Parece ser bem divertido! Já marquei como desejado no meu skoob :)

    http://tatimunhoz.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Tati!
      O livro é bem divertido mesmo, é para relaxar :)

      Beijoo

      Excluir
  2. Gente esse livro é muito amor, reuniu várias coisas que eu gosto e como não gostar do Guga e da Bia, sem falar nos personagens secundários que são tão fofos! Só acho que deveria ter continuação.

    www.profanofeminino.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O problema de uma possível continuação, é que ele poderia perder o charme... Quem sabe se a autora fizesse outro livro com algum personagem pouco explorado neste, não é? :D

      Beijos

      Excluir
  3. Quase ganhei esse livro dia 12... mas daí ele achou o do Coben que eu queria. XD
    Amei essa capa, ilustração linda demais. A Bia é lerdinha, não? E cá entre nós o histórico dela até me fez pensar um pouco em mim. hahahaha
    Esse cara é bem espertinho ou safadinho?
    Espero poder ter o meu em breve.
    Amei a resenha Came, pena que não surtiu efeito a música em mim. =(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A música não surtiu, mas espero que a resenha tenha surtido.
      Recomendo demais essa leitura leve, Daniiii

      Leia, leia, leia *-*

      Excluir
  4. Muito legal! tbem achei que era um livro mais adolescente, e gostei de saber que é uma jovem de 25 anos a protagonista!!! Gosto muito também qdo os personagens são mais reais, e que fazem piadinhas com situações que passamos no nosso dia a dia!
    Eu não tinha colocado ainda esse livro na minha lista, mas agora vou repensar e acho que vou ler sim!

    bjãooooo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana!
      Menina, coloque o livro na tua listinha sim... Não vai se arrepender. Ainda mais naqueles dias que tu tá meio estressada - é ótimooo, desestressa total.

      Beijoo

      Excluir
  5. *---* Ai que delícia de resenha!! Eu tenho o mesmo probleminha que vc, julgo o livro pela capa no primeiro momento. Essa me lembrou as capas da Talita Rebouças e já fiquei com o pé atrás. Mas agora me deu curiosidade de ler!!*_* Obrigada, viu. hahah
    bjcas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Maryyy!
      Leia que tu não vai se arrepender. O livro é ótimo, tu vai adorar.

      Beijoo

      Excluir
  6. Genteeee me identifiquei muito com a Bia. Adoro chick-lit!! E este está de parabéns a história parece uma fofura e a capa está super caprichada. Preciso muito ler!!
    seguidor: Viviane S.

    ResponderExcluir

Assine nosso Feed! Skoob! Siga-nos no Twitter! Facebook!