domingo, 13 de abril de 2014

Sinopse:
Kelsey Hayes perdeu os pais recentemente e precisa arranjar um emprego para custear a faculdade. Contratada por um circo, ela é arrebatada pela principal atração: um lindo tigre branco. Kelsey sente uma forte conexão com o misterioso animal de olhos azuis e, tocada por sua solidão, passa a maior parte do seu tempo livre ao lado dele. O que a jovem órfã ainda não sabe é que seu tigre Ren é na verdade Alagan Dhiren Rajaram, um príncipe indiano que foi amaldiçoado por um mago há mais de 300 anos, e que ela pode ser a única pessoa capaz de ajudá-lo a quebrar esse feitiço. Determinada a devolver a Ren sua humanidade, Kelsey embarca em uma perigosa jornada pela Índia, onde enfrenta forças sombrias, criaturas imortais e mundos místicos, tentando decifrar uma antiga profecia. Ao mesmo tempo, se apaixona perdidamente tanto pelo tigre quanto pelo homem. 

A Maldição do Tigre é escrito em primeira pessoa, sob o ponto de vista de Kelsey, o que nos faz perder alguns detalhes que passam pela cabeça do nosso tigre.
Kelsey perdeu seus pais há pouco tempo, e foi “adotada” por um casal muito divertido, Sarah e Michael. A propósito, os tutores de Kelsey a tratam com enorme liberdade para uma garota de 17 anos. A história começa com sua procura de emprego temporário – que consegue no Circo Maurizio, visto que precisavam de alguém por duas semanas para vender ingressos, alimentar os animais e fazer a limpeza depois das apresentações. Como os animais precisavam de supervisão constante, Kalsey deveria dormir no emprego. Seus pais adotivos a liberam de pronto.
Assim que Kelsey chega ao circo, logo começa o trabalho. O ponto alto dos espetáculos do Circo Maurizio é a aparição de Dhiren, o grande tigre branco. De primeira, Kelsey já sente uma ligação muito grande com o tigre, uma grande afeição. A magia acontece ao longo da aproximação dos dois – quando Kelsey libera uma parte da maldição (não posso dar maiores detalhes para quem não leu).
A aventura inicia com a saída de Dhiren do circo para voltar à Índia, seu país de origem. Como há uma afinidade muito grande entre ele e Kelsey, nossa protagonista vai junto. É aí que começa nosso programa cultural: há elementos indianos fortemente representados durante toda a obra. - lendas, mitos, palavras indianas, além da busca para quebrar a maldição do nosso querido tigre branco.

“No islamismo, acredita-se que Alá irá enviar um tigre para defender e proteger aqueles que o seguirem fielmente, mas também enviará um tigre para punir aqueles que considera traidores.”

O bom da Kelsey é que ela tem umas sacadas, sobre ela mesma, bem engraçadas. Claro que, como qualquer adolescente de 17 anos, ela tem seus pensamentos que são ora maduros, ora infantis. Mas isso não é ruim, de qualquer forma. Os personagens são bem delimitados, suas histórias bem delineadas e há um intrincado de histórias que se completam ao final.
Não se trata, apenas, de um romance juvenil, mas um livro recheado de detalhes, cultura e informações.  Gostei e recomendo.

 “Ele suspirou e fez uma reverência profunda.

- Sundari. Eu estava aqui pensando que nada poderia ser mais lindo que este pôr do sol, mas estava enganado. Você aí parada à luz do sol poente, com o cabelo e a pele reluzindo, é quase mais do que um homem pode... apreciar plenamente.”
Reações:

Um comentário:

  1. Oiii Cameee,
    Sabe que desde o lançamento me interessei por esta série? Porém ao ver que vai além de trilogia desanimei, muito livro para aturar triângulo amoroso.
    Ainda assim os elementos da cultura indiana me atraem. =)
    Espero que continue a ler e goste dos seguinte.

    Minha Velha estante
    Leitura Nossa de Cada Dia

    ResponderExcluir

Assine nosso Feed! Skoob! Siga-nos no Twitter! Facebook!