sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Quando se fala de empregos no inferno, ser um Súcubo parece bastante glamoroso. Uma garota pode ser qualquer coisa que ela quiser, o guarda-roupa é de matar e homens mortais farão qualquer coisa por apenas um toque. Claro, eles geralmente pagam com suas almas, mas por que ser tão técnico? Mas a vida da Súcubo de Seattle Georgina Kincaid é muito menos exótica. Seu chefe é um demônio de médio escalão com uma queda por filmes do John Cusack. Seus melhores amigos imortais ainda não pararam de provocá-la por causa da vez em que ela se transformou na Deusa Demônio, completa, com chicote e asas. E ela não consegue ter um encontro decente sem sugar parte da vida do cara. Ao menos ela tem seu emprego diário em uma livraria local – livros de graça; todos os mochas de chocolate branco que ela conseguir tomar; e acesso fácil ao sexy escritor de bestsellers, Seth Mortensen, Aquele por Quem Ela Daria Tudo Para Tocar mas Não Pode. Mas os sonhos sobre Seth vão ter que esperar. Algo estranho está acontecendo no submundo demônio de Seattle. E, dessa vez, todos os seus charmes e cantadas de cair morto não vão ajudá-la porque Georgina está para descobrir que há algumas criaturas que tanto Céu quanto o Inferno querem negar…


Sabe aqueles livros que não te conquistam de início, mas depois não te deixam dormir? Pois assim foi A Canção do Súcubo para mim!
Até quase a metade da obra, eu estava bem desanimada. Mas aí o jogo virou e a história alavancou! Fiquei alucinada, sério. Muito bom.
Curiosidade: Como estou ainda sem poder andar de moto, estou indo trabalhar de ônibus, então leio durante o trajeto. O detalhe é que tinha uma senhorinha que sempre olhava torto para o meu livro... Será que é por causa dessa capa insinuante?
Bem, o livro conta a história de Georgina, um súcubo de séculos de existência, que sobrevive sugando a energia sexual dos humanos – inclusive, o trabalho dela é corromper almas. Ah, mas ela tem seu trabalho “normal” como gerente de uma livraria. É linda naturalmente e pode mudar de forma sempre que quiser – desde que tenha energia suficiente. Tem alguns amigos demônios, vampiros e um anjo que vive rodeando-os. É como uma “Grande Família”, só que um pouco estranha. Depois de uma noite cansativa, Georgina se desentende com um vampiro e é acusada de tê-lo matado – e para provar sua inocência, não vai ser fácil.

A protagonista tem um amor alucinante por um determinado autor: Seth Mortensen, que escreve seus romances favoritos – ela é realmente louca por este autor. E em uma noite de autógrafos na livraria onde trabalha, acaba conhecendo o dito cujo. Claro que ela fica sem graça, ainda mais pelo fato de se tornar a guia oficial de Seth pela cidade. Óbvio que a atração é imediata – ou pelo menos da parte dela!
Mas nem só de Seth vive nossa heroína, que acaba conhecendo Roman, um cara simpático, atraente, querido, cavalheiro, perfeito. Só que ninguém é perfeito o tempo todo, certo? Será mesmo? Mas é claro que eu não vou contar o que acontece, senão eu acabo com a festa! Ah, e é óbvio que a atração é imediata! Eu já não falei isso por aqui? Ah, sim! No parágrafo anterior. Que será que isso quer dizer?
Bem, eu quase não sei o que falar sobre este livro! Primeiro por que ele me desanimou até a metade. E segundo por que ele me animou demais da metade em diante. Ô paradoxo! A autora escolheu muito bem os elementos textuais. Com diálogos bem sacados, a obra traz aquele sarcasmo irritante e delicioso – não tem como não rir das piadinhas e comparações que os personagens fazem, ainda mais quando se juntam Georgina e seus amigos vampiros. A construção da narrativa é perfeita – com esta história que sai um pouco dos vampiros e anjos como seres centrais, é tudo muito bem organizado e as ideias são bem dispostas.
Além disso, não há erro de concordância, a diagramação está excelente, a distribuição do texto na página está ótima, assim como o tamanho das letras (consegui ler sem os óculos, por que as letras são de tamanho bom), o que significa que a revisão foi bem feita – é que tenho visto cada “revisão” nos últimos tempos que estes elementos merecem destaque! Parabéns para a editora!
 Ps: sem contar que, ultimamente, estou adorando quando pego um livro com folhas amarelas. Por que brancas, minha gente, ninguém merece! Os olhos ardem, sério!
Adorei a leitura. Super fluida, por mais que tenha alguns elementos chatos – como o fato de a protagonista ser um pouco lenta para entender as coisas, apesar de sua experiência secular. Sei que este livro faz parte de uma série, mas, por hora, a série do Súcubo não é minha prioridade/vontade. Vai que eu mudo de ideia, daqui alguns dias...

Gostei! Recomendo demais!

Ps: Súcubo: demônio com aparência feminina que invade o sonho dos homens para ter relações sexuais com eles a fim de lhes roubar a energia vital.
Reações:

13 comentários:

  1. Com certeza a senhora ficou olhando por causa da capa! kkkk
    Súcubo? (eu não sei o que é súcubo, que tenso)
    Gostei da história, com seres sobrenaturais misturados, diferente.
    Parece ser sombrio, acho que é por causa da capa.
    A Georgina é humana?

    Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Georgina é um súcubo - que parece ser humana. É uma história diferente. Acho que você ia gostar o/

      Excluir
  2. Não consigo me empolgar com esta série.... vejo boas críticas, mas ainda assim, não me anima... gosei da Georgina trabalhar numa livraria,é meu sonho de emprego... XD... seria perfeito estar rodeada por livros, mesmo que não pudesse ler. =(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também é um sonho estar sempre rodeada por livro, mesmo! Se resolver se animar com a série, não deixe de nos avisar o/

      Excluir
  3. Já ensaiei comprar esse livro várias vezes... mas sempre tiro da cestinha! =P
    Gostei da sua resenha. Acho acho que vou dar uma chance para ele!

    bjs!

    http://www.etecetera-e-tals.com/

    ResponderExcluir
  4. Ainda não li, mas como gosto MUITO da série Vampire Academy, da mesma autora... deve ser bom também! rsrs
    Beijos!

    http://viajandonaestante.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A temática é diferente - é um pouco mais quente e insinuante. Mas é ótima igualmente o/

      Excluir
  5. Oi, adorei a resenha! Comprei o livro recentemente e ele ficou meio abandonado, pois estava com umas leituras na frente. Sua resenha me deixou muito curiosa a respeito da estória! Espero ler em breve!! E a capa chama mesmo atenção!! rsrs

    até mais!

    Prólogo da Leitura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Maritza! Mas olha menina, acho que você vai gostar! Dê uma chance o/

      Excluir
  6. Ainda bem que a parte boa acabou prevalecendo sobre a parte nem tão boa.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  7. ainda não li nenhum livro da Richelle Mead,essa serie parece ser interessante por causa do tema não lembro de tem lido alguma coisa sobre súcubo só acho que as capas poderia ser mais bonitinhas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também acho que poderia ter uma capa mais bonitinha... A questão dos súcubos é legal o/

      Excluir

Assine nosso Feed! Skoob! Siga-nos no Twitter! Facebook!