quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Olá pessoal!!!
Até que enfim, saiu!!
Meu primeiro post aqui no Resenhas de Uma Leitora ^^
É que estava pensando e decidindo por qual livro começar, uma indecisão danada!
Daí, resolvi começar por um livro que marcou o início da minha adolescência e que eu nunca esqueci: 



Sinopse:
Valéria Piassa Polizzi era uma jovem como todas as outras. Aos 16 anos de idade, namorava um rapaz bem mais velho, de 25 anos. Namoro conturbado, ciumento, violento. E quente. Desinformada sobre os perigos das doenças sexualmente transmissíveis, aceitou quando o namorado quis transar sem camisinha, afinal, "ela não era puta" e só com puta é que era preciso usar preservativo. Dois anos depois do fim desse namoro, Valéria descobriu que era portadora do vírus da AIDS.
A autora ainda relata seu sofrimento e o dos pais quando tiveram os resultados dos exames, o medo de encarar as pessoas e todo o tempo que passou sem contar ao restante da família e aos amigos que tinha a doença.
Conviveu durante uns dois anos com os amigos sem lhes contar nada, morrendo de medo de que alguém descobrisse tudo, de que tivessem contato com seu sangue e também contraíssem a doença, com medo de ter um namoro mais sério. Ela termina o Ensino Médio, começa uma faculdade mas acaba desistindo do curso.
Após isso, Valéria viajou para os Estados Unidos para fazer um curso de teatro, aprendeu a viver sozinha, fez novos amigos mas continuava com medo de contar para os outros que tinha HIV. Ela começou a ter alguns problemas de saúde, e ao procurar um médico, descobriu que existiam novos tratamentos e que a AIDS poderia ser controlada com medicação. No início, ela resistiu ao tratamento, pois estava esperando apenas sua morte chegar. Mas graças ao médico americano, que lhe incentivava, colocando-a em contato com outras pessoas que possuíam a doença e viviam normalmente, ela resolveu utilizar os remédios.


Ao voltar ao Brasil, sua saúde piorou, ela passou alguns dias internada no hospital e só nesse momento conseguiu contar para os amigos e familiares que tinha AIDS. Recebeu o apoio de todos e percebeu que poderia e deveria levar adiante sua vida, sem o medo de morrer a qualquer momento, como ela tinha antes.

Depois daquela viagem - Diário de bordo de uma jovem que aprendeu a viver com a AIDS é uma espécie de autobiografia da autora que contraiu a doença aos 16 anos com o primeiro namorado. Imagina o baque, tadinha! Tadinha nada! Ela acaba dando a volta por cima. Mas não sem muito sofrimento, dúvidas e dificuldades, porque na época (início dos anos 90) quem era soro positivo aqui no Brasil sofria muito com o preconceito, a falta de informação e as informações erradas.
Daí ela acaba viajando pros Estados Unidos, que na época já era muito avançado (novidade né! hahah) no tratamento e na mentalidade das pessoas em relação aos aidéticos. Por esse motivo o livro chama "Depois daquela viagem", porque lá ela aprende a viver - e viver bem! - com a doença, ela descobre que não está com uma sentença de morte, mas que tem uma chance a mais pra viver de forma melhor e ajudar as pessoas com a mesma doença. 
Não me lembro muito dos detalhes do livro, porque tem uns 6 anos que li (estava na oitava série), mas nunca esqueci deste título. Tem livro que deixa uma marca grande na gente, né?! Mas tem um depoimento que li da autora que eu nunca esqueci, em que ela diz:  

"Pensar e escrever o livro foi um processo de três anos, no qual cresci muito. Em primeiro lugar, tive de trabalhar muitas questões dentro de mim, para depois colocá-las no papel. O intuito era mostrar que as pessoas podem viver com o HIV, para ajudar outros soropositivos como eu. E também mostrar que a AIDS pode acontecer com qualquer um. A vida é uma daquelas coisas tão presentes que passa despercebida. Às vezes nós precisamos quase perdê-la, ou achar que está por se perder, para lhe darmos o devido valor e dimensão. E, ainda assim, não conseguimos entendê-la direito".


É uma história envolvente, que parece um bate-papo entre amigos.
Descobri que agora a obra foi adaptada para uma peça de teatro  que se apresenta em São Paulo http://depoisdaquelaviagemteatro.blogspot.com.br/ (morrendo de curiosidade pra assistir), uma forma de tornar mais acessível a todo tipo de público.
Bom, é isso, espero que vocês gostem, porque é realmente um livro emocionante, a gente acaba sofrendo e jubilando com a personagem!!
Até!


Reações:
Categories: ,

Um comentário:

  1. Olá olá

    Não conhecia este livro, e achei bem bacana toda essa descoberta da autora com a doença e ela mesma!
    Gosto de livros que falam da experiência própria do autor, de tudo que ele viveu, fica muito realista!

    bjnhos

    ResponderExcluir

Assine nosso Feed! Skoob! Siga-nos no Twitter! Facebook!