domingo, 24 de novembro de 2013

Livro lançado pela editora Novo Conceito este ano, com tradução de Paula Gentile Bitondi.


 Lacey Lancaster decide reorganizar sua vida após um divórcio conturbado. Não quer mais nenhum tipo de relacionamento, pois acredita que os homens são todos iguais. Então se muda para um pequeno apartamento com sua gatinha Cleo.
Lacey é uma mal humorada de primeira, que reclama de tudo. Talvez isso se deva pelo fato de sua vida amorosa não ser o que ela sonhou; o trabalho não é dos melhores – seu chefe não dá a mínima para ela e ainda leva todo o crédito das conquistas.
Após um ano morando naquele apartamento, Lacey começa a se estressar com seu vizinho, Jack Walker, que tem brigas escandalosas com uma jovem, sobre morarem juntos. Jack também tem um gato, chamado Cão, que resolve aprontar para cima de Cleo.

Jack é um lindo, bem humorado, divertido e romântico. Por quê sempre a mulher é a mal humorada? (devaneios).
Bem, Cão resolve namorar Cleo, que engravida. E agora? Lacey fará Jack assumir sua responsabilidade, entre outras coisinhas...

Bem, o livro é bem curto, com apenas 139 páginas de história e duas páginas com receitas para gatos. Então você o lê em uma sentada mesmo. A escrita é leve, apesar de eu ter me estressado com o mau humor de Lacey.
É claro que vocês já se ligaram que rola alguma coisa entre lacey e Jack, mas quero dizer que o romance, apesar de ser leve e bacana, não tem uma história que convence. Claro que eu não vou contar tudo, maaaaas posso dizer que a paciência do cara não me convenceu... OU será que eu estou, apenas, ficando ranzinza como Lacey (oooh não!!!)

A diagramação é bacana. A cada início de capítulo há um desenho de dois gatos românticos, a paginação fica na lateral (onde me perdi muitas vezes, de tão acostumada que estou com a paginação na parte inferior da página), mas não fica feio. Letras com um tamanho bom. Acreditem, faz toda a diferença – ninguém merece ler aquelas letras tão pequenas que mais parecem pertencer a uma bula de remédio.

Posso dizer que o livro tem uma lição a nos passar. Muitas vezes, nós não vemos o que está na nossa cara. Só enxergamos o que queremos, o que nos é conveniente. Essa é a mais pura verdade. Algumas vezes, dói pensar que alguém que amamos tanto pode nos trair (não só em relacionamentos amorosos!). Preferimos continuar cegos, fingindo não ver o que está posto em nossa frente.

Um livro rápido, interessante, escrita leve e com uma boa mensagem. Adorei! E espero que vocês gostem tanto quanto eu.


Citações:
"- Você conseguiu ouvir alguma coisa que eu disse?
- Consegui ouvir sua dor e foi o suficiente". P. 71

"Parecia muito pouco em vista das possíveis consequências, mas, quanto menos conversassem, melhor. Quanto mais o analisava, mais se sentia atraída por ele, o que não fazia sentido algum. Ela parecia alguém em uma dieta restrita, totalmente seduzida por uma bandeja de sobremesa". P.23

"'É algum tipo de maldição', Lacey pensou. Ela estava fadada a se sentir atraída pelo tipo errado de homem. Provavelmente havia algum nome científico para isso, algum termo que os psicólogos utilizavam para descrever mulheres como ela. “Louca de pedra”, ela decidiu. Envolver-se com ele seria totalmente desastroso". P. 30

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Assine nosso Feed! Skoob! Siga-nos no Twitter! Facebook!